Conexão MT

As Notícias se Encontram Aqui!

Sean Penn diz que ‘genes covardes’ fazem pessoas trocarem jeans por saias

Sean Penn diz que 'genes covardes' fazem pessoas trocarem jeans por saias
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Sean Penn prepara o lançamento comercial do seu novo filme como diretor, “Flag Day”, e deu uma declaração machista ao jornal britânico The Independent nesta sexta-feira. No início de janeiro, ele já havia falado ao portal iNews que estava “no clube que acredita que os homens na cultura americana se tornaram descontroladamente afeminados”.


Questionado sobre essa declaração, ele reiterou seus comentário sobre gênero. “Acho que os homens, na minha opinião, se tornaram bastante afeminados. Eu tenho essas mulheres muito fortes na minha vida que não tomam a masculinidade como um sinal de opressão em relação a elas. Há muitos, eu penso, genes covardes que levam as pessoas a abrir mão de seus jeans e vestir uma saia.”

A declaração foi feita ao lado da filha do ator, Dylan Penn, que estrela o filme ao lado dele. Segundo descreve o repórter James Mottram, na hora, ficou quieta, desviando o olhar para o nada.

Na entrevista anterior, Penn já havia declarado que não considerava que ser bruto ou desrespeitoso com mulheres tinha algo a ver com masculinidade. “Mas não acho que para sermos justos com as mulheres devemos nos tornar como elas”, acrescentou.

O próprio The Independent publicou um artigo da jornalista Leonie Cooper intitulado “A campanha antimulher de Sean Penn é um grande problema”, que relembrou como, em 2018, Penn já havia criado polêmica ao criticar o movimento Me Too, classificando suas bandeiras como “não honestas intelectualmente”.

O ator já interpretou uma variedade de personagens da cultura americana, desde o enérgico soldado em “Pecados de Guerra”, de Brian De Palma, até figuras abertamente homossexuais como o prefeito Harvey Milk, de San Francisco, em “Milk: A Voz da Igualdade”, até o exótico diretor de cinema em “Licorice Pizza”, que estreia em fevereiro no Brasil.

“Flag Day” é inspirado na história real de Jennifer Vogel, contada no livro “Flim-Flam Man: The True Story of My Father’s Counterfeit Life”, algo como o homem enganador, a história real da vida falsificada de meu pai. O longa conta a história de como uma menina descobre, aos poucos, a vida secreta do pai.

É o sexto trabalho de Penn como diretor, que foi recebido positivamente durante o Festival de Cannes no ano passado. Ainda não tem previsão de estreia no Brasil.

Comentários