Conexão MT

As Notícias se Encontram Aqui!

Ministro do STF determina retorno de Botelho ao cargo de presidente da ALMT

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

O Supremo Tribunal Federal (STF) reconduziu o deputado estadual Eduardo Botelho (UB) ao cargo de presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). Decisão é do ministro Alexandre de Moraes, que revogou liminar anteriormente concedida. Publicação ocorreu nesta quinta-feira (24).

Botelho(UB) sempre foi muito discreto e evitava polemizar o assunto, dizendo esperançoso e que respeitaria a decisão da justiça.

 

No sagão da entrada da Presidência da ALMT, onde repousam as imagens dos celebrados ex-presidentes da casa, entretanto, notava-se uma certa expectativa em realção a decisão vindoura.

 

Olhando sem estar atento, o expectador desavisado talvez não pode notar, mas, observando-se com mais critério notava-se desde antes (23) que tudo já estava sendo preparado e aguardado.

Victor Hugo aguardava o telefonema para dar as últimas pinceladas, o local já estava reservado:

 

 

Ação foi proposta no STF em face de dispositivo da Constituição do Estado do Mato Grosso que admite a recondução ilimitada para cargos da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, sob alegação de que essa possibilidade atentaria contra o princípio republicano e democrático.

Decisão liminar de Moraes, datada de fevereiro de 2021, determinou nova eleição, ocasião em que o deputado estadual Max Russi (PSB) foi escolhido presidente.

Segundo o relator, atualmente é possível identificar o posicionamento majoritário da corte no sentido da possibilidade de uma única recondução aos cargos da Mesa Diretora das Assembleias Legislativas em todo Brasil.

No entanto, o Plenário também firmou a compreensão majoritária de que os efeitos dessa mudança de jurisprudência não seriam imediatamente aplicáveis à eleições para as Mesas Diretoras ocorridas em até um ano após a publicação do acórdão da ADI 6524, primeiro julgado em que sinalizado a nova interpretação sobre os requisitos de elegibilidade para os cargos em questão.

“Em vista do exposto, revogo a decisão cautelar proferida nos presentes autos e restauro a eficácia da eleição realizada pela assembleia legislativa na sessão ordinária de 10/6/2020, para composição da mesa diretora no biênio 2021-2022, com a consequente recondução imediata de seus membros aos cargos antes ocupados, até o julgamento final da presente ação direta”, decidiu Alexandre de Moraes.

Além da revogação da liminar, decisão do dia 23 de fevereiro, o processo está pautado para julgamento de mérito entre os dias 25 de fevereiro e nove de março.

Arthur Santos da Silva/ Max Aguiar/Florentino-OD

 

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real,CLIQUE AQUI

 

Comentários