Conexão MT

Notícias de Mato Grosso e do Mundo

Quatro sintomas ‘inocentes’ de câncer de bexiga

Quatro sintomas 'inocentes' de câncer de bexiga
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

O câncer de bexiga é o decimo tipo de câncer com maior incidência no mundo. Muitas vezes é diagnosticado já num estado avançado. Porquê? Porque os sintomas são ainda muito desvalorizados e alguns deles até mesmo desconhecidos. O câncer de bexiga é o decimo tipo de câncer com maior incidência no mundo.


O câncer de bexiga mais comum é o carcinoma urotelial, que afeta o tecido interior da bexiga e representa mais de 90% dos casos da doença. Geralmente, ele aparece como um tumor superficial e tende a se manter na mucosa e submucosa do órgão

 
De acordo com a revista Prevention, o diagnóstico do câncer da bexiga acontece muitas vezes quando a doença está já num estado avançado, uma situação que resulta não só do desconhecimento de alguns sintomas, como também da tendência para desvalorizar alguns dos sinais que o corpo vai dando.

Arjun Balar, médico oncologista no NYU Langone Medical Center, nos Estados Unidos, revela que o câncer de bexiga nem sempre é fácil de detectar devido à semelhança dos sintomas que tem com os de infecções urinárias.

A presença de sangue na urina é um dos exemplos. Embora não seja um indicador certeiro e linear da doença, é um dos sinais que não deve, de todo, ser desvalorizado, especialmente quando ocorre em período não-menstrual. A vontade constante de urinar, a existência de dor e ardor no ato da micção ou até mesmo a incontinência são outros sinais que devem implicar uma visita ao médico, que com o recurso a análises à urina e/ou sangue será capaz de detectar a presença de possíveis marcadores tumorais ou do crescimento de bactérias (conseguindo, assim, fazer uma distinção entre um possível câncer ou uma infecção do trato urinário).

De acordo com a médica oncologista Susan Constantino, as dores abdominais intensas podem ser um outro indício da doença, embora apareçam já num estado mais avançado do câncer.

Comum nos vários tipos de câncer, a perda de apetite é um outro fator a ter em conta, especialmente quando ocorre em simultâneo com um dos sintomas descritos acima.

O câncer de bexiga é o sétimo mais comum em homens, enquanto nas mulheres é o 11º tipo de câncer mais frequente. Além do sexo, características como idade e etnia também podem aumentar o risco de desenvolver a doença, pois pessoas brancas e mais velhas são os grupos mais afetados. Outros fatores de risco do câncer de bexiga também devem ser levados em consideração, tais como:

Tabagismo – o cigarro é o fator de risco mais comum e está associado ao aparecimento do câncer de bexiga em mais de 50% dos casos;

Abuso de analgésicos, como a fenacetina;

Uso prolongado de medicamentos com ciclofosfamida, como os utilizados em tratamentos para doenças autoimunes;

Exposição constante e prolongada a diversos compostos químicos que estão presentes em tintas, borrachas e equipamentos elétricos, fator que está relacionado com, pelo menos, 20% dos casos.

Comentários