Conexão MT

As Notícias se Encontram Aqui!

Ager e Sinfra-MT aprovam indenização de R$ 7,5 milhões em espécie para empresa de deputado delatado por Silval

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

Da Redação Rogério Florentino com informações de Lázaro Thor Borges/OD

A Agência Estadual de Regulação de Mato Grosso (AGER-MT) aprovou no dia 4 de março a indenização de R$7,5 milhões à empresa Morro da Mesa S.A., concessionária da MT-130, que passa por Rondonópolis e Primavera do Leste. A indenização não tem previsão no contrato de concessão firmado pela empresa e o governo do estado em 2011. A Morro da Mesa é ligada ao deputado Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD).

 

Deputado Nininho

 

 

Leia também: Exclusivo! MPF requer em suas alegações finais a condenação do governador Mauro Mendes em improbidade administrativa

A decisão tomada com urgência, em período próximo ao carnaval, fará com que a Morro da Mesa receba todo o valor em espécie. Ao todo, a concessionária receberá R$7.568,598,60 do governo estadual. A justificativa para o pagamento é de que o estado não autorizou o reajuste da tarifa entre novembro de 2020 e novembro de 2021.

Coincidentemente o valor a ser recebido pela Morro da Mesa é próximo daquele que teria sido pago pela empresa a título de propina para conseguir a concessão da rodovia estadual. De acordo com a delação do ex-governador Silval Barbosa, o deputado Nininho pagou R$7 milhões para sua empresa vencer a licitação para cobrar pedágio na rodovia, importante rota de escoamento da produção agropecuária do estado.

A indenização foi aprovada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra-MT). Uma comissão mista, composta pela Sinfra-MT, foi formada para discutir a indenização à empresa. A comissão aprovou o pagamento.Até mesmo a empresa contratada pelo governo para avaliar o pedido de indenização da Morro da Mesa, a Houer Consultoria, subscreveu parecer defendendo a indenização.

O relatório feito pela Houer Engenharia foi apresentado no dia 9 de fevereiro. O parecer da empresa  dá razão às reclamações da concessionária sobre o valor considerado abaixo do ideal do pedágio. O advogado da Morro da Mesa, José Carlos de Oliveira Guimarães Júnior, elogiou o trabalho dos técnicos da Ager.

“Esta foi a primeira concessão do estado de Mato Grosso e isso até explica algumas falhas e alguns problemas que existiram de 2009 a 2022, mas são todas falhas totalmente sanáveis e foi o que apontou o estudo da comissão mista, um estudo técnico, um estudo aprofundado de pessoas que entendem de concessão”, afirmou o advogado da Morro da Mesa.

Com a decisão, a Morro da Mesa também poderá reajustar a tarifa de R$9,00 para R$9,50. O próprio presidente da Ager admitiu que diferente do reajuste da tarifa, a indenização será concedida sem previsão contratual. Luiz Nespolo pontuou que o contrato de concessão não prevê nenhum impedimento para pagar a indenização à empresa.

“Assenta-se que da mesma forma que não há previsão contratual para o reequilíbrio na forma de indenização não existe também qualquer autorização contratual ou legal de não concessão de reajustes”, afirmou Nespolo.

 

 

Comentários