Conexão MT

Notícias de Mato Grosso e do Mundo

Assembleia instala CPI para investigar cadeia produtiva do leite em MT

a4e3e728eb71cb00af07a00c03915ab3624227399f89b
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

Foto:
ANGELO VARELA / ALMT

Foi instalada nesta segunda-feira (28), na Assembleia Legislativa, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar possíveis infrações de ordem econômica na cadeia produtiva do leite e seus derivados em Mato Grosso.

A instalação da comissão foi requerida pelo deputado Gilberto Cattani (PL), que assume a presidência da mesma. A CPI também tem como membros titulares os deputados Xuxu Dal Molin (PSC), na condição de vice-presidente, Dr. Gimenez (PSD), como relator, Allan Kardec (PDT) e Thiago Silva (MDB).

Na condição de suplentes figuram os deputados Dr. Eugênio (PSB), Valdir Barranco (PT), Carlos Avallone (PSDB), Ulysses Moraes (União) e Sebastião Rezende (PSC).

No requerimento em que solicita a instalação da CPI, Cattani destaca o fato de Mato Grosso figurar entre os 10 maiores estados produtores de leite no Brasil e aponta a inexistência de livre concorrência na relação entre as empresas de laticínio e os produtores de leite, que, em sua avaliação, abusam de posição dominante com imposição unilateral de preço pós-fixado e a prática de truste – união de várias empresas em uma mesma organização, de modo a aumentar o poder e controle em um determinado setor.

“O problema do leite não é só do estado de Mato Grosso, é um problema nacional. Nós temos um preço defasado para o produtor, porque não temos um índice de custo desse preço do leite. Esse é um fator. O outro é o fato de que poucas empresas dominam o leite no nosso país inteiro. Então nós cremos que exista aí um monopólio, até um oligopólio, sobre o leite. E é isso que nós queremos descobrir pra podermos encontrar uma solução”, frisou o parlamentar, durante a reunião.

Cattani afirmou ainda acreditar que os trabalhos realizados no parlamento mato-grossense servirão como referência para abertura de investigações em outros estados do país. “O requerimento apresentado pelo deputado Amauri Ribeiro já foi aceito na Assembleia Legislativa de Goiás e deputados de Rondônia também já estão trabalhando para fazerem o mesmo lá. Então, a CPI já está repercutindo e vai repercutir muito mais”, declarou.

O relator da CPI, deputado Dr. Gimenez, ressaltou que a comissão terá como foco os pequenos produtores e cooperativas de leite. “O pequeno produtor está trabalhando no vermelho. No vermelho. Ele está praticamente pagando pra produzir o leite. Então quem é que está no comando dessa cadeia toda, onde grandes empresas faturam alto e o pequeno produtor praticamente paga pra trabalhar? É isso que nós queremos saber, descobrir a causa e atacar o problema”, disse.

O cronograma de atividades e os nomes dos primeiros convocados para prestar esclarecimentos à CPI serão apresentados e apreciados na próxima reunião da comissão, cuja data será marcada posteriormente.

A CPI tem prazo de 180 dias para concluir os trabalhos, prorrogáveis nos termos do art. 5º, § 2º, da Lei Federal nº 1.579, de 18 de março de 1952.

Comentários