Conexão MT

Notícias de Mato Grosso e do Mundo

‘Bridgerton’, da Netflix, bate recorde e é a mais vista entre séries em inglês

'Bridgerton', da Netflix, bate recorde e é a mais vista entre séries em inglês
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

Pelo andar da carruagem, a segunda temporada de “Bridgerton” tem tudo para igualar ou até bater os recordes da primeira leva de episódios. Isso porque logo no primeiro final de semana após a estreia, a trama da produtora Shonda Rhimes foi a mais assistida de todas dentre as séries em inglês.


Segundo o The Hollywood Reporter, logo nos três primeiros dias a história acumulou 193 milhões de horas de exibição em todo o mundo, o maior índice para qualquer série da Netflix em inglês nesse início. A segunda temporada ainda alcançou o top 10 em 92 dos 93 países onde a Netflix acompanha os rankings.

Esse índice representa o segundo maior número total de horas assistidas após a estreia. Em primeiro lugar segue a quinta parte de “La Casa de Papel” com mais de 201 milhões de horas acumuladas entre os dias 3 a 5 de setembro de 2021.

A produtora executiva Shonda Rhimes também vê crescer o interesse por outras duas séries na Netflix nesse final de março. Isso porque a segunda temporada de “Bridgerton” impulsionou quem ainda não havia visto a primeira e fez com que ela voltasse ao top 10. Já a “Inventing Anna” está há sete semanas na lista das mais vistas.

Os novos episódios chegam com um novo status se comparados aos que lançaram a produção no Natal de 2020. De lá para cá, a série se tornou a segunda mais assistida da plataforma de streaming (era a primeira, mas foi superada pelo fenômeno coreano “Round 6”) e amealhou 12 indicações ao Emmy.

O criador da série, Chris Van Dusen, diz que tentar manter a boa repercussão entre público e crítica não foi algo que o assustou. “Acho honestamente que sempre houve um sentimento de pressão sobre a série por sabermos que ela é inspirada em livros muito queridos, que já tinham fãs entusiasmados no mundo todo”, diz em entrevista à reportagem, lembrando a obra de Julia Quinn.

“As pessoas têm uma ligação muito forte e apaixonada por esses personagens”, afirma. “Essa pressão sempre existiu para mim. Eu sempre digo que podem vir com mais. A pressão funcionou na primeira temporada e acho que vai funcionar na segunda temporada também.”

Não bastasse toda a expectativa sobre as novas aventuras amorosas dos irmãos da família Bridgerton, na qual a trama é centrada, o criador precisou lidar com outra questão: a ausência do protagonista que roubou a cena na primeira temporada.

Isso porque Regé-Jean Page, que interpretou o duque de Hastings e enamorou meio mundo enquanto conquistava o coração da irmã mais velha dos Bridgertons, preferiu não renovar seu contrato. Daphne (Phoebe Dynevor) ainda aparece, mas com um tempo de tela consideravelmente menor – ela apenas cita o marido, que parece estar sempre muito ocupado para os eventos da família dela.

“Acho que isso é o que faz ‘Bridgerton’ ser ‘Bridgerton’”, avalia Van Dusen, lembrando que cada temporada é baseada em um dos livros da franquia, em que cada obra é centrada na história de um dos irmãos. “Foi justamente o que me atraiu no projeto, a possibilidade de mudar de foco a cada temporada.”

Como já havia sido anunciado, o protagonista da segunda temporada é Anthony Bridgerton (Jonathan Bailey), o filho mais velho e herdeiro do título de visconde.

Comentários