Conexão MT

Notícias de Mato Grosso e do Mundo

Eduardo Leite decide ficar no PSDB e desiste de filiação ao PSD de Kassab

Eduardo Leite decide ficar no PSDB e desiste de filiação ao PSD de Kassab
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

BRASÍLIA, DF – O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, decidiu permanecer no PSDB. O tucano estudava um convite do PSD para disputar a eleição presidencial de outubro, mas comunicou a aliados que vai ficar em seu partido. O anúncio da permanência na sigla deve ser feito nesta segunda-feira (28).


O gaúcho ainda pode concorrer ao Palácio do Planalto, mas pelo PSDB. Para isso, ele deve renunciar ao governo até o dia 2 de abril e disputar a indicação dentro do partido -que escolheu o governador paulista João Doria para a corrida presidencial.

Com a decisão de Leite, o PSD deve buscar outro nome para disputar a Presidência pela sigla.

A filiação de Leite ao PSD era dada como certa, mas ele sofreu pressão dentro do PSDB para ficar na legenda. Cardeais do PSDB enviaram a Leite uma carta no último dia 18 para convencê-lo a permanecer. O texto foi assinado por alguns aliados de Doria.

O governador gaúcho também foi convencido de que sua candidatura pelo PSD ficaria isolada, sem uma aliança com siglas fortes. Ele também enfrentaria resistências dentro da legenda, uma vez que o partido é dividido entre políticos que apoiam as candidaturas de Jair Bolsonaro (PL) e Lula (PT).

Se decidir concorrer pelo PSDB, Leite também enfrentará dificuldades. Sua viabilidade dependeria de que a legenda enterrasse o resultado das prévias que escolheram Doria candidato ou de que o governador paulista desistisse de disputar a eleição presidencial.

Aliados de Leite no partido, liderados pelo deputado Aécio Neves (PSDB-MG), trabalham para que o nome do gaúcho seja chancelado por outros partidos da chamada terceira via, sob o argumento de que ele seria um candidato mais viável que Doria.

Esse cenário em que Leite poderia ser alçado a candidato do PSDB ao Planalto é tratado como ilusório por aliados de Doria, já que o governador paulista venceu uma disputa interna que teve gastos do fundo partidário, participação de milhares de filiados e registro do resultado na Justiça Eleitoral.

O PSDB já anunciou uma federação com o Cidadania e selou uma aliança com União Brasil e MDB. Os quatro partidos fecharam um acordo para que, até junho, escolham um candidato único. É nessa negociação que a opção por Leite pode prosperar, segundo a ala do PSDB que o apoia.

Além de Doria e Leite, pleiteiam a vaga a senadora Simone Tebet (MDB) e o presidente da União Brasil, Luciano Bivar. O Podemos de Sergio Moro também foi chamado a ingressar o bloco da candidatura única.

Na última pesquisa do Datafolha, divulgada na semana passada, Leite apareceu com 1% as intenções de voto no cenário em que ele substitui Doria como candidato.

Comentários