Conexão MT

Notícias de Mato Grosso e do Mundo

Indústria de alimentos para pet calcula aumento nos preços

Indústria de alimentos para pet calcula aumento nos preços
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

(FOLHAPRESS) – Apesar do forte crescimento da demanda registrado desde o início da pandemia, a indústria de alimentos para pets prevê enfrentar um cenário de mais inflação em 2022.


A Abinpet (Associação Brasileira de Produtos para Animais de Estimação) fala em dificuldade para repassar o aumento nos custos.

O resultado de 2021 calculado pela associação aponta o crescimento da categoria em torno dos 33%, mas já mostra defasagem em relação ao aumento nos preços das matérias-primas, em torno de 40%, que abrangem milho, arroz, trigo e farinha de proteína animal.

“A indústria começou 2022 para recuperar as margens de lucro. Janeiro continuou em crescimento, com alta de 6,5%, e fevereiro seguiu na mesma linha. Mas, diante do conflito na Ucrânia, estamos preocupados que a matéria-prima tenha aumento igual ao da pandemia”, afirma o presidente-executivo da Abinpet, José Edson Galvão de França.

“Se isso ocorrer, deve agravar a situação de muitas empresas. Precisarão escolher entre repassar menos os custos e bancar o prejuízo ou repassar mais e perder mercado”, diz França.
O alimento completo industrializado para animais de estimação representa 78% da receita do mercado pet, segundo a entidade.

Comentários