Conexão MT

As Notícias se Encontram Aqui!

Secretaria de Saúde abre prazo para solicitação de aplicação de imunoglobulina em crianças de até 2 anos de idade

eae9260821f5021f95b15a0194363f86
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

Está aberto até o dia 15 de junho o período de solicitação de aplicação da imunoglobulina Palivizumabe, destinada à prevenção de doença grave do trato respiratório inferior, causada pelo vírus sincicial respiratório (VSR). O medicamento de alto custo é voltado para pacientes de até 2 anos de idade que residam ou estejam internadas em Cuiabá. A aplicação ocorre na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Verdão. 

Os critérios para solicitar a aplicação da imunoglobulina Palivizumabe são:

– Crianças nascidas com idade gestacional menor ou igual a 28 semanas (até 28 semanas e 6 dias) com idade inferior a 1 ano (até 11 meses e 29 dias) ou

– Crianças com idade inferior a 2 anos (até 1 ano, 11 meses e 29 dias) com doença pulmonar crônica da prematuridade, displasia bronco pulmonar ou doença cardíaca congênita com repercussão hemodinâmica comprovada.

 

Período de aplicação

 

O período de fornecimento e aplicação compreende os meses de maior circulação do vírus sincicial respiratório (VSR) que, conforme estudos do Ministério da Saúde, ocorre de março a julho, no Centro-Oeste brasileiro. A responsável técnica Sônia Maria do Carmo Nabarrete explica que como o objetivo do medicamento é prevenir o surgimento de doenças respiratórios como, por exemplo, a bronquiolite, o início da aplicação se dá um mês antes da sazonalidade, ou seja, em fevereiro. Cada criança pode receber até cinco aplicações, dependendo da data de nascimento e da entrada do processo com o pedido.

Para solicitar o medicamento Palivizumabe referente à sazonalidade citada, o responsável pela criança precisa apresentar cópia da certidão de nascimento, do cartão SUS e do comprovante de residência; receita médica atualizada; além de relatórios médicos especificando a necessidade do uso dessa medicação. 

No caso de pacientes prematuros, é necessário ainda anexar cópia do relatório da alta hospitalar. 

No caso de pacientes com doença cardíaca congênita com repercussão hemodinâmica comprovada, é preciso anexar, além dos documentos pessoais e da receita médica, a cópia do relatório médico com a descrição da cardiopatia, o grau da hipertensão pulmonar e os medicamentos utilizados, também cópia do laudo do ecocardiograma do último ano. 

Todos os solicitantes devem entregar formulário próprio do Palivizumabe preenchido pelo médico assistente solicitante (anexo I, II e III), disponível no site www.saude.mt.gov.br/informe/661. Os documentos devem ser entregues à responsável técnica de Saúde da Criança, Sônia Maria do Carmo Nabarrete, na sede da Secretaria Municipal de Saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h ou das 14h às 18h ou encaminhar via e-mail: saudedacrianca.sms@gmail.com. Mais informações podem ser solicitadas pelo telefone 3617-7309/7364, no horário citado.

 

Palivizumabe

 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), o Palivizumabe não é uma vacina, mas uma imunoglobulina – um tipo de anticorpo “pronto”, elaborado por técnica de engenharia genética – que induz imunização passiva específica contra o vírus sincicial respiratório (VSR). Atualmente, é a única forma disponível para a prevenção de quadros graves de infecções respiratórias em lactentes, como a bronquiolite e, principalmente, pneumonias. 

 

Comentários