Conexão MT

As Notícias se Encontram Aqui!

Putin lançou operação militar na Ucrânia para colocar ‘pessoas decentes’ em Kiev, diz Berlusconi

24974050
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real CLICA AQUI

Nesta sexta-feira (23), o ex-primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, disse que o presidente russo, Vladimir Putin, foi “pressionado” a realizar a operação militar especial na Ucrânia para colocar “pessoas decentes” no comando de Kiev, segundo a Reuters.

“Putin foi pressionado pelo povo russo, por seu partido, por seus ministros para criar esta operação especial”, disse Berlusconi acrescentando que o plano da Rússia era originalmente conquistar Kiev “em uma semana”, e substituir o presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, por “um governo de pessoas decentes” e sair logo “em outra semana”, afirmou.

“Eu nem entendi por que as tropas russas se espalharam pela Ucrânia enquanto em minha mente elas deveriam ter ficado apenas em Kiev”, disse o ex-premiê, de 85 anos, que uma vez descreveu Putin como um irmão mais novo.
As declarações de Berlusconi acontecem há poucos dias da eleição na Itália. O líder italiano, cujo partido Forza Italia pertence a uma coalizão de direita, tem chances de vencer as eleições parlamentares de domingo (25) e seus comentários devem alarmar os aliados ocidentais, segundo a mídia.
O presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, responde a perguntas da mídia durante coletiva de imprensa em metrô de Kiev sob praça central, na Ucrânia, em 23 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 31.08.2022

Sob o primeiro-ministro Mario Draghi, Roma tem sido forte defensora das sanções ocidentais à Rússia em resposta às suas ações na Ucrânia.
Entretanto, nesta sexta-feira (23), após sofrer condenação generalizada de oponentes por seus comentários, Berlusconi divulgou um comunicado dizendo que suas opiniões foram “simplificadas demais“.
“A agressão contra a Ucrânia é injustificável e inaceitável, a posição [da Forza Italia] é clara. Estaremos sempre com a UE e a OTAN”, disse ele.
O líder do Partido Democrata de centro-esquerda, Enrico Letta, descreveu os comentários de Berlusconi como “escandalosos”. “Se na noite de domingo [25] o resultado for favorável à direita, a pessoa mais feliz será Putin”, disse Letta citado pela mídia.
Comentários